Ligue: (41) 98807-7110

Cristianismo Sustentável 01

CS_01_banner

Você já viu um produto no mercado com uma etiqueta escrito “Produto Sustentável” ou “Esta empresa é amiga do Meio Ambiente” ? De onde eles tiram essa idéia? O que faz uma marca de clips ser amiga do meio ambiente e a outra não? Ou, por que um detergente é chamado ecológico? Existe uma série de indicadores que “medem” a sustentabilidade de produtos e serviços, mais ou menos como se fossem notas no colégio.

Dentre esses indicadores, a Análise do Ciclo de Vida (ACV) é um dos mais utilizados. A ACV mede os custos de energia gastos em um produto e seus impactos desde a extração de sua matéria prima, beneficiamento, tempo de uso e finalmente, seu descarte e eliminação.

Para exemplificar, pense em um carro. Para fabricá-lo é preciso extrair minério de ferro de uma montanha, forjar barras e chapas de aço em uma siderurgica e montar o veículo. Depois de pronto, deve-se considerar o consumo de combustível utilizado durante os anos de vida útil do carro e o destino do produto após o término desta vida útil, no exemplo, um ferro velho cheio de focos de dengue.

Se a soma da energia usada ao longo de todo o ciclo de vida do carro for maior do que a energia gasta durante o ciclo de vida de uma Caloi 10, então a Caloi 10 é um meio de transporte mais sustentável do que o carro, deu pra entender? (Essa análise é bem simplista, na prática envolve muitas outras coisas, mas não vem ao caso agora)

_______________________________________________________

E o Quico? Nossa vida cristã também precisa ser frequentemente analisada para verificarmos se estamos no rumo certo ou se estamos nos desgastando demais por causa de um problema não resolvido. Proponho então uma análise do ciclo de vida cristã.

Nossa matéria prima é nossa fonte de energia. Sem os insumos adequados facilmente a qualidade do nosso produto será prejudicada. Você dirigiria um carro cuja lataria é feita de um aço de origem suspeita? Igualmente, como cristãos, precisamos nos alimentar da fonte adequada.  No evangeliquês, é o que costumamos chamar de vida devocional, ou seja: “leia a bíblia e faça oração se quiser crescer”.

“O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro.” Efésios 4:14

Em segundo lugar, assim como o minério de ferro precisa ser forjado para formar o carro, nós também precisamos passar por um processo de beneficiamento. Temos arestas para aparar e cantos para polir. Com certeza essa não é uma parte fácil, mas é super importante para que a nossa vida cristã possa crescer adequadamente. Quando negligenciamos esse aspecto da santidade permanecemos “amarradas” por algum pecado de estimação que insistimos em não querer largar.

“Que Ele fortaleça os seus corações para serem irrepreensíveis em santidade diante de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos.” 1 Tessalonicenses 3:13

O uso de um carro gera um impacto ambiental negativo, com a emissão de poluentes na atmosfera, mas ao mesmo tempo pode ter um impacto social positivo, levando a vovó para o hospital ou os filhos para o cinema. Esse mesmo carro também terá um impacto econômico que pode ser positivo ou negativo. O pai irá trabalhar com o carro e conquistar o dinheiro para a família ou se endividar parar num buteco e gastar todo o salário com Fanta Uva. A questão é que o uso (e até mesmo a falta de uso) gera um impacto que pode ser bom ou ruim, dependendo de como é administrado. Logo, nossa vida cristã também deveconsiderar o impacto que estamos causando nas pessoas ao nosso redor e, acredite, você está causando um impacto. A pergunta é: que impacto é esse?

“Cada um exerça o dom que recebeu para servir aos outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas.” 1 Pedro 4:10

Em último lugar, o fim. Quando eu era pequeno meus pais tinham um fusca marrom. Minhas primeiras viagens foram naquele carro. Provavelmente o nosso fusca marrom já deve ter sido compactado e transformado em sucata, mas de certo modo aquele carro marcou a nossa história. Um dia nossa vida acaba e todos nós iremos prestar contas com Deus. Qual é o legado que você quer deixar quando se for? Um carro que só dava problemas? Que bebia muito? Que impacto a sua vida vai deixar para aqueles que convivem com você hoje?

“… rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam.” Efésios 4:1

Esse texto foi longo, vou tentar encurtar os próximos.

Gabriel Ruiz de Oliveira

Deixe um Comentário