Viagem Missionária Ciganos

De 17 a 23 de julho de 2010, uma galera da minha igreja (quase que integralmente vinculada à MPC Curitiba) teve a oportunidade de viajar para Goiânia e participar de uma experiência transcultural evangelizando ciganos no Planalto Central. Além de conhecer o Cerrado, comer picolés de Serigüela, Mamacadela, Cagaita, Graviola, Cupuaçu, Buriti, Cajá-Manga e Jabuticaba, pastel de Guabiroba com Pequi (dica: nunca peçam esse, por mais atraente que o nome possa parecer), desidratar no “inverno” goiano, assistir o jogodo Corinthians no Serra Dourada e me vestir de palhaço, essa viagem me ensinou lições importantes que pretendo contar abaixo.

Em primeiro lugar, quem são os ciganos? Os ciganos são um grupo étnico de origem desconhecida degradado de Portugal para o Brasil desde o início da nossa colonização. Apesar de estarem aqui há séculos, esse povo preserva muitas de suas tradições, desde morar em barracas, até um idioma e código de ética próprios. Por serem marginalizados, a Igreja Brasileira não se preocupou em evangelizá-los, considerando-os “invisíveis”. Só pra vocês terem umaidéia, existem mais ciganos no Brasil do que povos indígenas. Quantas missões você conhece quetrabalham com índios? E com ciganos?

Óbviamente, um desafio não diminui o outro mas nos permite ver o tamanho do desafio. Mas apesar das dificuldades, Deus não se esqueceu dos ciganos, e aospoucos tem feito grandes coisas no meio desse povo. Ao longo dessa semana nossaequipe visitou alguns acampamentos nas cidades-satélite de Goiânia onde uma equipe local começou um trabalho deevangelização no final do ano passado. Aqueles grupos vivem em condições muito precárias, em todos ossentidos. Falta de tudo, desde oportunidade de emprego, atérespeito e dignidade por parte dos gajons (quem não é cigano). Porém, apesar de faltar de tudo, eles precisam de apenas uma coisa: Jesus.

Nesse tempo lá, pensei em tudo que já li e ouvi sobre Missão Integral. Sobre a importância de levar Cristo para as pessoas como um todo, afinal, alma sem corpo é fantasma e corpo sem alma é defunto. Porém percebi como o próprio evangelho, a história do amor de Deus por nós já foi escrita para o ser humano integral. É incrível perceber o poder avassalador queo cristianismo é capaz de fazer no coração dos homens. Não foram cestas básicas nem promessas de prosperidade que impactaram aqueles corações, e sim a convicção com que o amor de Deus por eles foi demonstrado, seja por meio de um tempo deconversa ou abraços.

Oro para que essa experiência nos desperte, Igreja, para expressarmos o amor que um dia nos contagiou às pessoas esquecidas. E não precisamos viajar metade do país para isso. Quem sabe é aquela sua vizinha que precisa de alguém pra conversar, ou um rapaz da sua sala que deuns tempos pra cá tem se isolado do grupo. Como filhos de Deus, nós temosa única resposta para todos os problemas do mundo. Podemos passar a vida felizes por tê-la encontrado, ou compartilhá-la com o mundo e ter o privilégio de ver a benção de perto. 

“E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” Colossenses 3:17

 

 Gabriel Ruiz de Oliveira

1 comentário

  1. Nicole em 10 de setembro de 2010 às 09:36

    Que delicia de post esse Gabriel. Muito bom ouvir um poquinho sobre o seu ponto de vista a respeito dos ciganos e desta viagem.Sem dúvida, foi maravilhoso.Conhecer os ciganos, a equipe de Goias e de Curitiba tbm… aprender com cada um amar de maneira simples…=) Foi uma experiencia ncrivelpra mim e, pelo jeito,pra vc tb..Para um inutinho pra relembrar… alegrou o meu coração!!! =)

Deixe um Comentário